para_que_serve-min.png

PARA QUE SERVE UM CRÍTICO GASTRONÔMICO?

Quem são os críticos de gastronomia? São uma espécie de clube de cavalheiros ou membros de uma confraria de especialistas no prazer? Que trabalho é esse que lhes obriga a decidir pela manhã a que restaurante ir para almoçar e, ainda num dia de trabalho mais árduo, também jantar? E é sempre assim: comer e escrever sobre o que comeu… rotina essa por vezes quebrada, pois viajam, e com que objetivo? Comer. Mas não em todos ou em qualquer lugar, e sim em casas que ofereçam as mais lautas refeições de cada região. Vida dura. Tanto mais que, não raro, extenuantes jantares se prolongam noite adentro. E, é claro, com tudo pago, pois não seria justo pagar para trabalhar! Há dois tipos básicos de críticos: os que apregoam o anonimato e os que festejam a fama. Os primeiros são mais “éticos”, embora o anonimato nos dias de hoje seja pura ilusão; os outros, mais exibicionistas,

deixam-se cercar por mimos e atenções. Mas uma coisa é certa: todos são muito influentes, podem decidir o destino de um restaurante ou de um chef da noite para o dia, sua glória ou sua desgraça. A crítica gastronômica tem função absolutamente imediata, ela é devorada pelo seu público-alvo, faminto de prazer: lê-se a crítica, vai-se ao restaurante elogiado (aos criticados, ninguém se arrisca a ir) e regala-se com as delícias prometidas. Isso só faz aumentar a responsabilidade do crítico como formador de opinião.

Detalhes

Páginas: 168

Formato: 14 x 21 cm

Peso: 210 gr

Acabamento: Brochadura

Lançamento: 01/12/2012

ISBN: 978-85-66319-03-3

Selo:Tapioca

book.png
ebook_d.png